Aprendendo a conversar: Dicas práticas

September 24, 2019

 

 

        Uma das maiores dificuldades de tímidos e ansiosos sociais é conversar. E quando digo conversar, não me refiro apenas a conversas longas e difíceis. Frequentemente, as pessoas que sofrem de ansiedade social têm medo de conversas casuais simples, o famoso "bater papo" ou "trocar ideia". Só de imaginar abordar alguém para iniciar uma conversa ou ser abordado para conversar, estas pessoas podem ficar extremamente nervosas e preocupadas.

        Essa "fobia de conversar" ocorre mais frequentemente com estranhos e pessoas não familiares, mas também pode ocorrer com conhecidos, amigos e até pessoas mais íntimas. Via de regra, a pessoa sabe que seu medo é desproporcional para uma situação tão corriqueira, mas, ainda assim, ela se sente assustada quando antecipa ou enfrenta uma situação de conversação. 

         Alguns pensamentos negativos comuns relativos a esta situação são os seguintes:

  • Não sei o que dizer;

  • Não sou muito bom em conversar;

  • Não terei o que falar;

  • Nunca tenho nada interessante para dizer;

  • Ela vai achar que eu sou um chato;

  • Ele não vai se interessar pelo que eu tenho a dizer.

    Bom, ninguém nasce sabendo como conversar. Portanto, conversar é um comportamento aprendido, uma habilidade que pode ser desenvolvida. Como?     

         A primeira coisa que você deve refletir sobre si mesmo é o seguinte: Será que você realmente não tem habilidades de conversação ou apenas pensa que não tem?      Essa reflexão é importante, pois muitos ansiosos sociais possuem boas habilidades de "trocar ideias" mas não sabem disso, pois evitam se expor às situações de interação social que envolvem conversação há muito tempo. 

         Caso você chegue a conclusão de que realmente não possui um bom repertório de conversação, pode começar praticando em algumas situações simples, tais como:

  • Cumprimentar um vizinho quando avistá-lo fazendo algo;

  • Perguntar a um colega de trabalho se ele fez algo divertido no final de semana;

  • Comentar com a recepcionista de algum estabelecimento que o movimento está fraco hoje;

  • Iniciar uma conversa com um vendedor, perguntando se ele sabe se vai fazer calor no final de semana;

  • Comentar sobre o trânsito com um motorista de táxi ou uber.

        Lembre-se! Mesmo estas situações aparentemente simples podem gerar ansiedade e desconforto. Não lute contra estes sentimentos, eles são esperados e não são perigosos, apenas os aceite como parte de um treinamento de um comportamento novo. Tão pouco, evite a situação ou os próprios sentimentos ocasionados por ela. O medo deve ser combatido de frente, em doses graduais. Quando se sentir mais confortável nestas situações, você poderá enfrentar situações sociais mais complexas.

   Conversar é uma habilidade essencial na construção de qualquer relacionamento. Digamos que é "o início de tudo". Você pode ter acesso a muitos relacionamentos que tem deixado passar em sua vida se treinar e desenvolver essa habilidade. Com a prática, verá que não é tão difícil quanto imagina e que é capaz de interagir bem com as pessoas!! Os ganhos a longo prazo superam o desconforto a curto prazo!!

 

Referência:

Hope, D. A., Heimberg, R. G., & Turk, C. L. (2012). Vencendo a ansiedade social com a terapia cognitivo-comportamental. Porto Alegre: Artmed.

     

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

September 10, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags