Você SABE se preocupar com os outros?

December 12, 2019

 

        A preocupação com o que o outro pensa está na base do sofrimento de quem tem uma timidez exagerada ou um transtorno de ansiedade social (TAS). Porém, quero destacar aqui dois sentidos do "se preocupar com os outros".

  Vou começar pela maneira desadaptativa de se preocupar com os outros, típica das pessoas que sofrem de ansiedade social. A pessoa com ansiedade social se preocupa com os outros no sentido de encarar o que o outro pensa dela como uma ameaça a sua imagem. Ou seja, são preocupações autocentradas, do tipo "será que ele/ela vai achar que sou bobo/boba?", "será que vão perceber que estou nervoso/nervosa?", "será que vou incomodar?" "Vão me achar estranho/estranha", e por aí vai.

       O fundamento destas preocupações está no medo de que os outros possam te perceber e te avaliar de alguma forma negativa. Consequentemente, você prevê que estas avaliações negativas vão resultar em rejeição, exclusão ou algum tipo de afastamento do outro. Além disso, são preocupações, de certo modo, narcisistas, no sentido de que a pessoa socialmente ansiosa acredita que está no centro das atenções constantemente, que todos estão reparando nela e que ela NÃO pode tornar visível aos outros seus defeitos ou fraquezas (um fardo pesado, não?).

       Então notem. No fundo, não é uma preocupação verdadeira com O OUTRO!! É uma preocupação em SER PERCEBIDO PELO OUTRO DE FORMA NEGATIVA. Se quisermos ir mais longe, é uma preocupação consigo mesmo, no sentido de querer causar uma boa impressão e se proteger da ameaça de ser visto negativamente. Como eu disse acima, é uma preocupação autocentrada. Não é adaptativa, pois além de estar associada a altos níveis de ansiedade no contato social, não é possível solucioná-la. Quero dizer com isso que você não pode controlar e nem resolver o problema de como o outro vai te perceber e te avaliar. Isso é problema dele. 

     O segundo sentido de "se preocupar com os outros" é bastante valorizado socialmente. Embora esteja relacionado, de alguma forma, ao sentido anterior, é mais adaptativo. Trata-se daquele tipo de preocupação que visa, de fato, ajudar, aconselhar, cuidar ou intervir, de alguma forma, na vida do outro. Quando alguém está passando por uma fase ruim, por exemplo, você telefona para a pessoa para saber se ela está bem, se ela quer conversar, pergunta como pode ajudar, etc. Você não está preocupado com a avaliação dela a seu respeito e sim com A PESSOA EM SI!!

     Finalizando. Existem diferentes formas de se preocupar com os outros. Umas adaptativas, outras não. Uma irão te gerar mais ansiedade social e outras uma conexão mais saudável com as pessoas. O fóbico social precisa aprender uma nova forma de se preocupar com os outros. Qual? Se preocupar com A PESSOA e NÃO COM A AVALIAÇÃO QUE A PESSOA FAZ DELE!! Isso implica em sair um pouco de si mesmo, parar de achar que é o centro do universo, e começar a focar no ambiente e nas pessoas do seu entorno. Como sempre, este é mais um comportamento passível de ser aprendido.  

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Recentes

November 28, 2019

September 10, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags